Box e-Music – Entrevista com Vintage Culture

0

Não é fácil fazer música no Brasil. E não precisa ser muito entendido no assunto para saber todas as barreiras que tem na carreira de um música brasileiro. Seja ele cantor, instrumentista, compositor, DJ, entre outros setores da música, todas tem uma certa dificuldade de alavancar sua carreira e só consegue quem realmente tem a essência, a vontade e o talento. Pode ter vários planejamentos, marketing, remarketing, o que for! Se você não tem o feeling da Música, nada adianta. Você pode ter 10 anos, ou 50, a Música não tem idade, nem gênero. A Música a gente não vê, a sente. Quem vemos são os grandes maestros que as conduzem de uma forma ou outra. E um deles é Vintage Culture.

Vintage, Culture, Lukas, Lukas Ruiz, whatever… Vintage Culture te remete duas coisas: música e dança. Lukas Ruiz – o qual carrega o nome artístico – possui todas essas características que falei e isso com seus 20 e poucos anos. Cria da tal geração Y e apaixonado pela profissão de DJ, hoje, ele dispensa qualquer primeira apresentação. O mesmo leva o nome da música eletrônica pelo mundo inteiro e levando com ele, uma multidão de pessoas que estão exclusivamente lá para curtir o seu som.

vintage

Recentemente tivemos o prazer de conversar com o mesmo depois de uma apresentação da primeira edição da Live, na qual ele foi o headliner. Vintage mostrou-se desde o início da apresentação até o final um cara centrado e fazendo com vontade o que sabe. Afinal, não é qualquer um que está disposto a ceder uma entrevista às 8:30a.m. Conversamos sobre redes sociais, música, carreira e mais. Confira:

Você diz que nunca almejou o sucesso. Hoje, você o tem. Como você se sente hoje?
Pra mim é tudo muito normal, desde quando comecei eu sou a mesma pessoa. As festas mudaram, o público mudou, cada vez estou tocando para público maiores, mas no interior eu continuo do mesmo jeito, pois é assim que deve ser, o interior deve permanecer intacto.

Talento ou estudo? O que você acha que mais influencia na carreira de um DJ?
Mais importante que o estudo é o esforço. Antes de começar a tocar, fiquei 3 anos trancado em casa me esforçando. Eu não tinha talento, eu tive o esforço, garra e acreditei no meu sonho.

Como funciona o teu processo criativo?
Depende muito. Às vezes estou estressado, não estou no mood, com muitas viagens… por exemplo hoje (25.05) estou em um período de muitas viagens. Espero dar um tempo que não estou com muita coisa, vou para minha casa de cabeça limpa e vou para o estúdio e começo. Mas realmente é uma coisa muito complicada o processo criativo, pois as vezes você pensa: “cara, acho que nunca mais vou conseguir produzir uma música”, aí você vai lá, se esforça e aí sai. Para produzir a pessoa tem que estar com a cabeça limpa.

Sua carreira elevou o patamar de suas redes sociais. Hoje você pode ser considerado um Digital Influencer. Como você encara profissionalmente e pessoalmente as mídias digitais?
Acho que esse é um dos fatores que mais fez os novos Produtores e DJs se diferenciarem dos demais. Estar sempre conectado aos fãs, mostrar o que está fazendo é algo muito importante. A galera está na internet consumindo muita informação. Eu particularmente adoro as redes sociais.

O vovô que nasceu em Eyes virou um grande sucesso e uma de suas marcas. Recentemente vimos ele, você e Gabi Lopes causando pela Califórnia. Quais os próximos passos do coroa?
O vovô nasceu em uma madrugada despretensiosa em casa. Vi a máscara em um anúncio na internet e falei para a minha equipe: “será que eu compro?”. Contra a vontade de todos, comprei e saí pelas ruas de SP com o o Struder, que faz meus vídeos, e gravamos o clipe de Eyes.

Quando aos próximos passamos do Vovô, estamos gravando um clipe já fazem 4 meses. Gravamos uma parte em Los Angeles e agora está sendo finalizado em São Paulo. Será uma história bem grande e complexa. O Vovô ganha uma grana na Loteria, vai para L.A ser feliz…  Vai ser um clipe bem engraçado. Acho que esse é o meu principal projeto para o primeiro semestre desse ano.

Esse foi o nosso papo com o Vintage Culture. Já sabemos os próximos passos do Vovô e confessamos que estamos ansiosos com a produção. Pois se os On The Road do DJ são de uma produção impecável, quiçá um clipe tão marcante para o história dele, não é mesmo!? Tks Vintage!

INSTA

Compartilhe.

Sobre o Autor

CEO do Explosive Box e Publicitário, louco por qualquer tipo de arte que me encante. Também sou editor-chefe das colunas de Moda e Música.

Leave A Reply