Box On the Road – Bonito/MS II

0

E aí pessoal! Como estão? Hoje vou dar continuação sobre a minha experiência em Bonito/MS como prometi a vocês. O post está muito legal, com várias dicas e fotos dos locais que visitei!

Saímos da nossa cidade no Domingo de manhã por volta das 06:00AM. Cruzamos a fronteira de Santa Catarina e Paraná, e depois de Paraná e Mato Grosso do Sul. A maior parte da trip acontece no estado do MS, as estradas são excepcionais, não precisam se preocupar com buracos ou imprevistos. Muito bem sinalizadas e planejadas proporcionam uma viagem agradável e mais tranquila de carro.

Chegamos na cidade de Bonito por volta das 20:00PM (que emoção), já era horário de verão, então ainda havia sol.  Fomos direto para a pousada, descarregamos nossas malas e já saímos conhecer melhor a cidade em si. Por mais que a viagem tenha sido longa, a vontade de explorar um novo lugar sempre fala mais alto hehe.

Fomos direto para a praça da cidade, local agradável aonde as pessoas se encontram para jogar conversa fora, levar as crianças brincar e comer algo nos food-trucks que ficam nas redondezas. Ainda na praça existe um chafariz que forma um pequeno lago aonde se encontram duas estátuas de peixes, que é uma marca registrada da cidade. Aproveitei para fotografar enquanto o sol estava se pondo.

b1

Voltamos a pousada para dormir cedo, pois no dia seguinte as 7 horas da manhã começaríamos a explorar as atrações. Antes disso o Gustavo proprietário da Echoes Tour, agência que contratamos, foi até a nossa pousada entregar nossos vouchers, pois tínhamos chegado à cidade depois do horário comercial e a agência já estava fechada. Sem os vouchers é impossível fazer qualquer passeio. Não os esqueçam!

Segunda feira, dia de começar a explorar, aprender, se encantar e mais uma porção de coisas que um novo lugar nos proporciona. Primeira parada: Gruta do Lago Azul!

Todos os passeios são em fazendas ou propriedades privadas, um pouco distantes da cidade e com acesso sempre por estrada de terra (não se preocupem, as estradas de terra de lá são melhores que os nossos asfaltos rs). Levamos em torno de 30 minutos para chegar na Gruta.

Chegando lá uma estrutura impecável de recepção (como em todos os outros passeios) com diversos guias e alguns turistas, bancos e mesas entre as árvores, lixeiras por todo lado, banheiros limpos e uma energia muito positiva. Logo fomos chamados por uma guia para irmos até a sala de preparação, aonde são entregues os equipamentos de proteção, e são passadas as informações necessárias para os turistas. Depois disso, montamos o nosso grupo e seguimos pela trilha até a gruta. Uma trilha leve e fácil em meio a mata nativa.

Quando começamos a nos aproximar da gruta é que nos damos conta da imensidão daquele lugar, de como a natureza é generosa conosco e de como precisamos dela para nos tornarmos seres melhores. A boca da gruta é imensamente gigante e conforme íamos adentrando nela mais impressionante ela se tornava. Acima de nós centenas de pedras pontudas que se formam com o passar dos anos, chamadas de estalactites, e no solo mais uma porção de pedras chamadas estalagmites. A decida até o lago azul deve ser cuidadosa. O guia, inclusive, pede para controlarmos o tom da voz, pois qualquer eco pode acabar comprometendo a estrutura da gruta e ocasionando algum acidente. Já estávamos muito impressionados com a gruta em si, porém o lago azul era o ápice do passeio. Lá de cima você já consegue enxergar o tom azul turquesa da água no fim da gruta, mas quando você vai se aproximando do lago, vê que ele é muito mais do que as fotos mostram ou do que os relatos dizem. O Lago Azul é simplesmente magnífico! Ninguém conhece a fonte que alimenta o lago, porém há pesquisas que indicam a existência de um rio subterrâneo que fornece a água para o lago manter-se sempre cheio. Olha só que demais! A água é tão transparente que por mais que o lago possua mais de 90 metros de profundidade, é possível enxergar o fundo dele! Outra coisa interessante é que uma vez uma expedição de mergulhadores explorou a caverna e encontrou fósseis do tigre dentes de sabre e da preguiça gigante! Muito bacana né?! Enfim, se estiver indo a Bonito, não deixe de conhecer a Gruta do Lago Azul.

b2

O passeio da Gruta dura em torno de 2 horas e meia. Depois disso, voltamos para a cidade para almoçar e continuar nosso dia de aventuras. Próxima parada: Aquário Natural!

A recepção do Aquário Natural é de longe a que mais oferece comodidade ao turista. Logo na chegada você entrega seus vouchers e é encaminhado a uma “sala de espera”, esta que conta com piscina, quiosques, serviço de bar e muita área verde ao redor. Um verdadeiro paraíso.

b5

Permanecemos um tempo aproveitando o local até que o guia veio nos chamar. Nos deslocamos até o vestiário aonde são entregues a roupa de flutuação e o snorkel. Ali também são passadas as informações necessárias para o passeio ocorrer com tranquilidade. Depois disso, nos deslocamos até a piscina novamente para um breve treino na água e adaptação ao uso da roupa e máscara.

Todos prontos? Sim capitão! Então era hora de começar a trilha até a nascente do Aquário Natural. No trajeto é possível avistar diversas espécies de animais e plantas. O contato com a natureza é incrível. Todo o caminho é feito com o maior cuidado para não afetar a fauna e flora do local. Depois de uma caminhada de 15 minutos chegamos naquele lugar magnífico!

A água tem uma cor tão incrível que não tenho palavras para descrever (isso que eu ainda só estava visualizando a parte externa do rio). É possível ver a nascente jogando areia para cima, como se fosse um vulcão submerso vertendo água sem parar.

Sem mais delongas, vamos para a melhor parte, a hora da flutuação! Logo que você entra na água sente que ela é muito gelada, pelo fato de ser um rio e ter uma leve correnteza. Os primeiros instantes são um pouco tensos, até você se acostumar a flutuar e respirar pelo snorkel. Mas na medida que você adquire prática, a sensação é única. Posso comparar com voar. Você simplesmente tem uma água tão transparente que consegue enxergar até os mais pequenos detalhes como um grão de areia repousado em cima de uma folha submersa. Os peixes ficam nadando ao seu lado como se não estivesse aí. Nesse momento você se sente parte do rio, a única coisa que você pensa é: eu não acredito que estou vendo isso com meus próprios olhos, e fica repetindo isso por diversas vezes até o fim do passeio. Enquanto isso, a leve correnteza vai te levando rio a baixo, e você vai se encantando com o novo mundo que está conhecendo. O mundo aquático.

Galera me falta palavras para descrever tudo sobre a flutuação. Acho que as fotografias vão fazer vocês entenderem melhor o que eu estou falando hehe.

b3

b4

Incrível né?! Em hipótese alguma deixem o Aquário Natural fora do seu roteiro. Há grandes chances de se arrependerem rs.

Pois bem, achei que em dois posts eu conseguiria descrever toda minha experiência em Bonito/MS, mas estava enganado. Então deixo meu convite e peço que aguardem a terceira parte dessa aventura, aonde falarei sobre a Fazenda Rio do Peixe, Boca da Onça Ecotour, Flutuação no Rio Sucuri e Parque das Cachoeiras. Aguardem!

Confira as fotos completas:

Paz e luz a todos!!!

Compartilhe.

Sobre o Autor

The world is my home. | fernandofiorentin on Instagram

Leave A Reply