“Às vezes, um vestido apenas não é suficiente…”

0

“Se meu assunto é a mulher, talvez eu faça um vestido para ela. mas, às vezes, um vestido apenas não é suficiente para comunicar todas as emoções que eu gostaria. Então tento expressar minhas ideias através de outros meios, como a arquitetura”. (COURRÈGES, André)

Daquelas semanas tristes em que se perde dois grandes ícones e influências da moda. Se ontem registramos aqui os nossos sentimentos – e profundo agradecimento – ao gigante David Bowie, hoje prestamos nossas homenagens ao revolucionário estilista André Courrèges, cuja a morte, após 30 anos de luta contra o mal de Parkinson, foi anunciada na última sexta-feira (08.01) pela Maison Courrèges.

andre-courreges2

Arquiteto por formação – e inspiração –, a moda foi a grande sortuda por tê-lo como designer, que a transformou no inicio dos anos 1960 com sua visão futurista, responsável pela Space Age. O estilistas desenhava para mulheres dá década de 60 pensando nas mulheres do anos 2000! Não precisa ser um especialista em história da moda para se lembrar da imagem de suas famosas saias plásticas e os minivestidos com recortes geométricos.

Há muita experiência por traz do sucesso de sua carreira. O estilista trabalhou durante dez anos na Balenciaga e em 1961 abriu sua própria marca. Desde o início, as referências em arquitetura e tecnologia fizeram suas criações, vistas como vanguardistas para a época e usadas por musas como Brigitte Bardot, Audrey Hepburn, Catherine Deneuve e Jackie Kennedy.

cour9

Era o símbolo da juventude! Saias curtíssimas – Courrèges aclama para si a invenção da minissaia, apesar da inglesa Mary Quant também rogar pelo título– botinhas, chapéus em formato de capacete, muito vinil, listas, cores como prata e branco, podem até parecer exagerados para a década, mas ao contrário, eram equilibradas graças ao seu gosto por linhas limpas e formas geométricas.

untitled-article-1443711681

Coleção Primavera/Verão 2016

Em 1994 ele deixou sua marca, que passou a existir somente com uma linha de perfumes licenciados. Vinte anos depois, em 2014, a maison voltou À cena da moda pelas mãos dos estilistas franceses Arnaud Vaillant e Sébastien Meyer.

Em um mundo que carece tanto de gênios, foi sorte a nossa ter contado com o talento desse visionário por 92 anos. Merci Courrèges!

Compartilhe.

Sobre o Autor

Não me lembro quando foi que o universo da Moda me conquistou, as vezes eu acho que eu já nasci amando tudo isso. Hoje sou estudante de moda, mas não me peçam para desenhar ou costurar, meu negócio é escrever! Filmes antigos, anéis, Audrey Hepburn, botas, 90’s, sinceridade, bolo quente, livros, batom e assaltar o guarda-roupa da vó.

Leave A Reply