A história da menina que cresceu na selva africana

0

Branca, rica, pais bem sucedidos e 13 anos de sua vida vividos em um lugar inusitado, no meio da selva africana. Filha de dois franceses, Alain Degré e Sylvie Robert, ambos fotógrafos do National Geographic, nasceu e cresceu em meio aos animais mais ferozes do mundo em um dos lugares mais espetaculares que a Natureza pode proporcionar aos seres humanos.

O lugar exato é Namíbia, um país do norte da Angola onde seus únicos habitantes são os animais e tribos excêntricas que acolheram a família francesa e abriram as porteiras da selva para que a família pudesse capturar todos os momentos pelas lentes de suas câmeras e  exibir seu trabalho para o mundo. Os pais franceses tiveram Tippi Degré, uma menina branca que cresceu em um cenário pouco convencional para qualquer habitante, inclusive pelos africanos. Afinal é um lugar de grande risco e restrito aos humanos, literalmente o altar de grandes espécies animais.Tippidegré9

Aos 13 anos, Tippi se mudou com os pais para Paris e o resultado foi o esperado: a menina não conseguia se relacionar porque tinha “pouco em comum” com as outras crianças. Foi educada em casa e hoje, com 23 anos, estuda cinema na Sorbonne Nouvelle University.

Nesse tempo, gravou seis documentários para o Discovery Channel e viu sua história contada em “Tippi: My Book of Africa”.

TippiDegré4

Hoje, com seus 23 anos, Tippi trilhou o mesmo caminhos dos pais e continua com suas visitas assíduas ao local em que cresceu, conviveu e lhe ensinou os grandes mandamentos da vida, de maneiras singela e sincera. Fotógrafa formada, focada na carreira de documentarista da grande selva africana, agora a menina dedica sua vida aqueles que acolheram ela com tanto amor.

10906306_1580705698812155_1425242628923695014_n

Confira algumas fotos da vida da menina há 13 anos atrás em Namíbia:

Compartilhe.

Sobre o Autor

CEO do Explosive Box e Publicitário, louco por qualquer tipo de arte que me encante. Também sou editor-chefe das colunas de Moda e Música.

Leave A Reply