O artista por trás da fita

0

Hoje você vai conhecer um tipo de arte pouco conhecida. Fita adesiva, bisturi e uma plataforma de acrílico iluminada. Isso é tudo que o holandês Max Zorn precisa para criar sua arte.

Max atua na arte urbana desde 2011, com seu estilo único, pelo uso de fita adesiva marrom como meio e por cortar chapas de acrílico com um bisturi para criar imagens que exigem iluminação por baixo para serem vistas. Os ambientes e temas de Max Zorn são influenciados pelo cinema e personagens de novelas.

No mês de outubro, Max esteve presente no Rio de Janeiro para participar da VI Mostra 3M de Arte Digital, em que o tema central foi a apropriação na arte. A exposição, que rolou durante de 9 a 25 de outubro na Fundição Progresso, teve a abordagem da revisitação, adotada pelos vinte e dois artistas participantes, que atualiza e inscreve antigos imaginários na nossa realidade atual, criando novas estéticas e políticas de representação, tanto de forma irônica, crítica ou transgressora, como poética e conceitual.

Max Zorn ficou mundialmente conhecido após publicar no Youtube o vídeo Street Art by Max Zorn Making of Art Tape, em novembro de 2011. No dia 6 de outubro, ele fez uma performance na estação Carioca do metrô, recriando a obra Leitura, do pintor e desenhista brasileiro José Ferraz de Almeida Júnior. Em meio o grande fluxo de pessoas em um dos lugares mais movimentados da cidade, o artista chamou a atenção de todo mundo que passava pelo local.

Compartilhe.

Sobre o Autor

Esse sou eu. Carioca, jornalista, fotógrafo, filmmaker, DJ, de tudo um pouco. Apaixonado por natureza, música e qualquer tipo de arte. Sempre em busca de novas aventuras e desafios.

Leave A Reply