Burning Man para baixinhos

0

O nosso futuro sempre vai depender das nossas crianças, a nova geração, seja no Rio de Janeiro, em São Paulo ou até mesmo na Black Rock City, Nevada, onde acontece o Burning Man.

Burning Man, um dos festivais mais famosos do mundo, é um evento de contra-cultura dedicado à vida em comunidade, arte, auto-expressão, auto-suficiência, meditação e qualquer outra coisa que rompa a barreira da moral e do medo do ridículo. No meio do deserto, o cenário se define em pessoas, bicicletas, palcos, areia e poeira, muita poeira.

A fotógrafa Zípora Lomax resolveu fazer um registro diferente por lá, mostrando as crianças que frequentam o deserto. O motivo desse tema foi para atingir a meta de arrecadação de seu financiamento coletivo no Kickstarter, para poder lançar seu livro “Dusty PlayGround”, que conta sobre a infância nesse local inusitado.

Veterana do Burning Man há 15 anos, apaixonada por fotografia, Lomax começou a fazer imagens do seu próprio bebê. Ela diz que, quando criança, tinha a sensação de que uma foto poderia dizer algo que ela não podia ver a partir do seu interior, e por isso elas têm essa qualidade mágica.

A fotógrafa cresceu e se tornou uma artista, permanecendo profundamente ligada a crianças. Fotografar crianças no Burning Man faz todo o sentido, porque, como diz Zípora Lomax, “temos de encontrá-las em um lugar onde elas existam totalmente.” Crianças são naturalmente brincalhonas e despreocupadas.

As fotos têm grandes doses de mistério, magia, quase como se fosse um cenário montado, mas não é, é real, livre, espontâneo e muito autêntico. Tenho certeza que essas fotos vão fazer você vai sorrir para a tela sem nem perceber.

Compartilhe.

Sobre o Autor

Esse sou eu. Carioca, jornalista, fotógrafo, filmmaker, DJ, de tudo um pouco. Apaixonado por natureza, música e qualquer tipo de arte. Sempre em busca de novas aventuras e desafios.

Leave A Reply