Pré Fashion Weeks: Quem são os estilistas responsáveis pelas marcas da LFW?

0

Nossa série pré fashion week está de volta! A semana da vez é na terra da Rainha e dos mais famosos estilistas alternativos. Sim, estou falando da London Fashion Week, que apesar de possuir um line up preenchido quase inteiro por jovens estilistas, há também marcas famosas como Topshop Unique e Burberry. Nessa hora eu lhes faço nossa pergunta da temporada: vocês sabem quem são os estilistas responsáveis por elas? Não se desespere, eu te conto nesse post.

anthony

A Versus – linha mais comercial da Versace – foi lançada em 1989, por Gianni Versace para presentear sua irmã Donatella Versace. A marca nasceu com uma abordagem mais jovem, cool, criativa e um visual rock-chique. O atual diretor criativo, Anthony Vaccarello, assumiu o posto no incio de 2015 e apresentou sua primeira coleção completa para a Versus na temporada de outono/inverno 2015  – ele já havia feito uma parceria com a grife em 2014.

Anthony é belga de pais italianos e sempre menciona que o seu DNA fashion está nesse mix de nacionalidade. Estudou na faculdade La Cambre e começou trabalhando com Karl Lagerfeld na Fendi, onde triunfou como estilista durante os 3 anos que permaneceu. Em janeiro de 2009, ele apresentou sua primeira coleção da marca que leva seu nome, conhecida por seus mini comprimentos, recortes, muito couro e fivelas. Erótico, contemporânea e minimalista, o estilo de Anthony Vaccarello tem um sex-appeal.

chris

Em 1856, na Inglaterra, o jovem Thomaz Burberry abriu uma pequena loja especializada em roupas para atividades esportivas, como pesca e golfe. Aos poucos a marca ficou conhecida por criar o gabardine – um tecido impermeável, respirável e extremamente resistente para dias de chuva – em seguida por seus trench coats e o tecido xadrez. Mas somente nos anos 1990, a Burberry  iniciou o processo de criação de uma nova imagem, totalmente fashion. Em 2001, a direção criativa foi confiada a Christopher Bailey, que doze anos depois assumiu também o cargo de CEO.

Christopher nasceu em 1971 na cidade de Yorkshire, na Inglaterra. Cresceu rodeado pelo universo da moda, já que sua mãe era montadora de vitrines na loja Marks & Spencer. No entanto sua paixão sempre foi desenhar e passar o seu tempo livre em museus. Incentivado por um professor de artes plásticas, Bailey fez faculdade de estilismo na Royal College of Arts de Londres. Trabalhou como designer na DKNY e na Gucci. Na Burberry, Bailey renovou a imagem da marca, com coleções que obtiveram grande sucesso e provocaram o interesse de uma clientela mais jovem.

kate

 

A TopShop foi lançada em 1964, no norte da Inglaterra, como uma pequena loja, sem grandes alardes. Somente dez anos depois, quando se mudou para a Oxford Street, em Londres a marca começou a fazer sucesso e se tornar referência da moda inglesa, com roupas que traduziam as tendências em um estilo moderno e urbano. Em 2001, a criação da coleção Unique veio consolidar essa orientação, que elevou a marca ao patamar de símbolo de elegância e contemporaneidade. Até que em 2005, a coleção passou a desfilar na London Fashion Week, se tornando assim, a única das marcas de grande distribuição que desfile em uma Semana de Moda.

Depois de 18 anos como co-diretor de moda da Vogue britânica, Kate Phelan se mudou para Topshop em 2011, para se tornar diretor de criação. A paixão pela revista veio desde de criança, quando viu um editorial fotografado por Bruce Weber, com styling de Grace Coddington. Em 1984, ela se mudou para Londres para estudar Comunicação de Moda e Promoção na Central St Martins. Fez um estágio na Vogue, e em seguida, recebeu o convite para ser assistente de moda. Depois de três anos, deixou o cargo para se tornar editora de moda júnior na Marie Claire. Em 1993, retorna à Vogue, onde permaneceu por 18 anos. Durante esse tempo, fez alguns trabalhos freelancer de construção de imagens de campanha para a TopShop e quando se tornou diretora criativa da marca, Kate declarou que estava disposta a fazer algo diferente em sua vida.

john

Em 1988, em Paris, o criador belga Martin Margiela funda sua marca conhecida como Maison Martin Margiela, que sempre presou por uma desconstrução do previsível, transformação e reinterpretação das peças e acabamentos crus. A casa criou ainda uma segunda linha mais contemporânea e feminina, a MM6 em 1997. A etiqueta possui uma abordagem pessoal e conceitual, porém para um guarda-roupa atual e adaptado ao dia a dia. No ano passado, John Galliano foi anunciado como o novo diretor criativo da marca que se manteve, desde a saída de Margiela, com um membro da sua equipa nesse cargo.

Um dos mais polêmicos estilistas na história da moda, John Galliano nasceu em  Gibraltar, em 1960. É filho de pai inglês e mãe espanhola. Quando ele e sua família mudaram-se para Londres, além do choque cultural – Galliano era uma criança vestida da cabeça aos pés segundo a cultura espanhola -, sofreu abusos na escola e espancamentos em casa, sempre por ser diferente. A única saída era refugiar-se no interior de seu imaginário, que só conheceu em 1981 quando entrou na Central Saint Martins. Sua coleção de final de curso – Les Incroyables, inspirada pela Revolução Francesa- provocou aclamação e foi comprada por Joan Burstein, da loja Browns. Em 1985 participou da LFW. A razão do sucesso eram suas peças com profunda inspiração histórica e sua mente genial. Pouco tempo depois, foi convidado para ocupar o lugar de Hubert de Givenchy. Duas coleções depois, foi apontado como novo diretor criativo da Dior, sem deixar de lado sua marca homônima. No período que permaneceu na maison, Galliano soube tomar as rédeas com a magnificência da sua alma e com o respeito aos códigos de beleza e sonho construídos por Christian Dior. Chegou a desenhar 19 coleções por ano. Até que atingiu o seu ponto de ruptura. No inicio de 2011, a Dior anunciou que havia suspendido Galliano, devido a fatores bastante problemáticos como uma intoxicação causada por uma mistura de comprimidos com bebida alcoólica e ofensas racistas e antissemitas em publicações de vídeo.

Após o apoio de amigos como Naomi Campbell, Linda Evangelista e Bill Gaytten, o estilista começou seu período de retratação e retorno ao mundo da moda, desenhando o vestido de noiva de, sua também amiga, Kate Moss. Logo depois colaborou com Oscar de la Renta na coleção outono/inverno 2013 da marca. Até que em outubro de 2014, um clima de mistério pairou o ar, com o anuncio de que John Galliano assumiria a Martin Margiela. O resultado surpreendeu: em sua primeira coleção, na Semana de Moda de Alta Costura, em janeiro de 2015,  um equilíbrio harmonioso entre a extravagancia de Galliano e a elegância da maison, resultou em peças exuberantes e sofisticadas. Um momento mágico que marcou a volta de John Galliano!

E que comece a London Fashion Week!

Arrivederci, Beatriz Arvatti.

Compartilhe.

Sobre o Autor

Não me lembro quando foi que o universo da Moda me conquistou, as vezes eu acho que eu já nasci amando tudo isso. Hoje sou estudante de moda, mas não me peçam para desenhar ou costurar, meu negócio é escrever! Filmes antigos, anéis, Audrey Hepburn, botas, 90’s, sinceridade, bolo quente, livros, batom e assaltar o guarda-roupa da vó.

Leave A Reply