The g(old) times de David Guetta

0

“The World is Mine”… E não é que ele o conquistou? Provavelmente, essa foi a primeira música que você escutou do hitmaker mais conhecido do mundo. Lançada em 2005, a track com sample de Simple Mindes “Someone Somewhere in Summertime” emplacou o topo das rádios européias, alavancando de vez a carreira do DJ e produtor francês.

Pierre David Guetta nasceu em Paris, e hoje está com quase 48 anos. Durante sua longa trajetória pelo mundo da e-music, ele venceu 2 Grammy Awards, foi considerado o DJ mais popular do mundo pela DJ Magazine em 2011, e já vendeu mais de 3 milhões de álbuns e 15 milhões de singles no mundo. Suas produções já contaram com a parceria de ícones do Pop mundial, como Akon, Madonna, Will.i.am, Rihanna, Britney Spears, The Black Eyed Peas, etc.

Mas nem só de EDM vive o Guetta (pra quem tiver curiosidade, assistam ao seu documentário “David Guetta – Nothing but the beat: The movie”). O francês já teve seus tempos de ouro… Sua primeira produção musical foi lançada em 1991, chamada “Nation Rap”, com a colaboração do rapper Sidney, totalmente voltada ao black music. A qualidade musical é consideravelmente muito boa para a época, conforme podemos ver:

Em 1994, David Guetta lançou um EP de House juntamente com Robert Owens, chamado “Up & Away”. Acredito que este foi um demonstrativo do seu gosto musical originário, e que de certa forma é ótimo para o ano em que foi lançado! Se repararmos, a música até se parece com muita coisa lançada atualmente:

E tem mais. No final dos anos 90, no Terrace da Space em Ibiza, foi gravado um vídeo onde aparece o francês descendo o braço na galera, soltando um clássico do Techno e botando todo mundo pra rebolar demanhã:

Sua última façanha artística (que por sinal, surpreendeu muita gente) foi um Essential Mix feito em Maio de 2015 para a rádio BBC, onde David Guetta produziu um set de 2 horas totalmente fora do contexto EDM, mostrando ao público que capacidade e talento, são coisas que não lhe faltam:

Não tenho dúvidas sobre a importância que o David Guetta teve para com o mundo da música eletrônica. Mesmo sendo ele totalmente voltado ao Comercial atualmente (o que não me agrada), temos que admitir que todo seu sucesso nunca foi por acaso. O termo hitmaker lhe veste muito bem, afinal, nós e muitos de nossa família conhecemos (mesmo que consequentemente) muitas de suas tracks. Ainda, creio que a EDM é uma ótima porta de entrada para público um dia, quem sabe, chegar ao underground.

Por fim, não escrevi esse post com o objetivo de fazer qualquer tipo de juízo de valor. A discussão Comercial x Underground é totalmente inútil e defasada pra mim, pois acredito que todo o tipo de e-music, não importando a vertente, só tem a agregar para com o nosso mundo. Creio veemente que todo artista deve ser respeitado, valorizado e estudado antes de emitirmos qualquer opinião ou crítica. Viva a música!

Compartilhe.

Sobre o Autor

CEO do Explosive Box e Publicitário, louco por qualquer tipo de arte que me encante. Também sou editor-chefe das colunas de Moda e Música.

Leave A Reply