Box Fotografia – Marcelo Parizzi

0

Hey you! Dando continuidade ao Box Fotografia, conversei com Marcelo Parizzi que vem ser fotógrafo da Glow Press -que vem ser uma agência no estilo I Hate Flash-  que cobre as principais festas do sul do Brasil. Marcelo tem 30 anos e está no ramo da fotografia faz algum tempo. Resolvi chamar o Marcelo para esse projeto pela diferença que eu, pseudo amador, percebo entre um fotógrafo de estúdio e fotógrafo de festas. Confira a matéria completa!

 221

Está a quanto tempo no ramo da fotografia?

Cara, nasci dentro de um estúdio de reveleção preto e branco.. meu pai era fotógrafo nas antigas… por problemas pessoais fiquei 10 anos sem pegar numa máquina fotografica, ai abri uma agência de publicidade com mais dois sócios aqui em passo fundo e por acaso copramos uma Nikon d80… e assim voltei a clicar com 2 tochas fratas de 30 anos na época, hoje to aqui, de volta.

 

 

Qual a principal mudança da fotografia de quando você começou para os dias atuais?

Mudou tudo. Acho que a única coisa que não mudou é o talento, enquadramento, o modo como o profissional “monta” a cena. Com o digital mudou a possibilidade de experimentar mais,  poder abusar das fotos sociais casuais sem medo de gastar filme.
Como é fotografar baladas? Dá mais trabalho do que um um aniversário, por exemplo?
São trabalhos diferentes, onde o compromisso é pegar o cliente da casa curtindo a festa e não tanto as fotos sociais pousadas. A maior diferença fica por conta do briefing que o cliente passa: valorização da casa/cliente/alegria/marcas tudo isso junto na composição da foto. O tratamento também é diferente podendo sair um pouco do tradicional.
Concorda que redes sociais como o Instagram e Mobli despertem mais a vontade das pessoas em serem fotógrafos?
É claro que sim, as mídias sociais popularizaram a fotografia- banalizou também é claro – mas ajudou a difundir e levar pra maioria a fotografia, inclusive com “hardware” mais baratos câmeras menos e mais tecnológicas no bolso de cada usuário, como como falei antes, nada substitui o talento. Isso acabou popularizando a foto e transformando todos em fotógrafos. Sem julgar qualidade ou técnica.
Qual câmera você usa? Qual você indica para os iniciantes que não querem investir muito, de início?
Falar de qual equipamento é muito específico. Porque a compra do equipamento tem muito a ver com o tipo de foto que se quer produzir. Não adianta comprar uma lente para fotografar esportes para fotografar evento social. Para quem esta começando minha dica é: não compre o equipamento mais caro, só vai dificultar o entendimento das técnicas e não vai permitir se soltar criativamente para clicar. Entender a técnica é muito importante, mas fotografar tem que ser divertido, criativo e descobridor.
Quais os programas de edição que você indica?
Na verdade acho que essa é uma das duas perguntas mais frequentes: qual programa você usa e qual a lente usou nessa ou naquela foto. Sobre a lente e câmera já falei, é tudo muito específico. Quanto ao programa antigamente não existiam programas e a “edição” era feita na hora da foto com filtros e objetos ou na hora da revelação. Hoje a “sala escura” é o computador. É nele que editamos tudo. é claro que algumas fotos já são feitas pensadas na edição. A um tempo atrás o único programa usado era o photoshop, hoje temos o adobe photoshop lightroom que torna o fluxo de trabalhos mais rápidos. Vale lembrar: não há edição que de jeito numa foto ruim…
Do seu próprio termômetro, qual a melhor instituição do Brasil para exercer o curso de Fotografia e Publicidade, que você também é formado?
No meu caso, minha trajetória é muito específica, fui deixando as coisas acontecerem, mas um curso específico ajuda muito, por exemplo o curso de publicidade me ajudou muito. Sempre que eu vou fotografar uso as referências de designer gráfico e publicidade nas minhas fotos.
Confira um pouco do trabalho dele.
231
223
224
225
226
227
228
229
230
Confira mais do trabalho dele no site dele.
Próxima entrevista é com o queridinho das principais it-girl do Brasil.
Compartilhe.

Sobre o Autor

CEO do Explosive Box e Publicitário, louco por qualquer tipo de arte que me encante. Também sou editor-chefe das colunas de Moda e Música.

Leave A Reply