Box E-Music – Entrevista com Lolô Bortholacci

0

Hey! Tive o prazer de tirar algumas dúvidas particulares que eu tinha quanto ao trabalho da Lolô e também algumas dúvidas que os futuros DJs tem sobre a profissão. Para quem não conhece, Lolô tem 26 anos, é DJ faz 5 anos e já é residente de uma das baladas mais conceituadas do Rio Grande do Sul, a Beehive Club! Conheçam um pouco mais dela e do seu trabalho, que só vem crescendo!

Esse é o set que ela tocou na Fosfobox, pelo projeto Brotherhood. Fuc*in play antes de começar!

Seu interesse sempre foi tocar música eletrônica ou foi apenas uma oportunidade?
A música eletrônica foi um presente pra mim. Quando descobrir o que eu gostaria de fazer e como fazer, ela apareceu. A oportunidade está aonde você se permite chegar, então posso dizer que tudo que estou colhendo e que quero colher ainda isso sim foi através de oportunidades, mas o interesse pela música é algo que sempre tive.

Para quem está começando ou quer ser DJ, quais suas dicas?
Dedicação, persistência, muita pesquisa e posicionamento.

No cenário da música eletrônica no Brasil, quais são suas expectativas para 2013?
A minha maior expectativa é que a cena eletrônica no Brasil cresça cada vez mais, mas para o lado bom, construtivo, valorizando aqueles que realmente querem trabalhar. A cada ano que passa vemos muitas pessoas entrando nesse meio, porém o conflito de interesses e o desvirtuamento do propósito delas atrapalham e muito no trabalho dos profissionais que realmente se dedicam, prejudicando assim o próprio serviço que é entregue ao público. Espero que sejam formados profissionais que realmente amem o que fazem e que o objetivo seja sempre agregar.

Quais são suas influências?
São muitas. A cultura do Hip-Hop, as batidas marcantes, os instrumentos do Jazz, a expressão do Rock. As inspirações não necessitam vir da própria música, mas do que te toca e como você consegue passar isso para a pista.

Qual o TOP 6 de músicas que escuta atualmente?
Escuto muito meus próprios set’s, tenho a mania de analisar tudo denovo, pensar em como poderia ser diferente, de que maneira usar os breaks, analisar como foi a mixagem, e se encontro poucas respostas é porque gostei dele. Mas em termos de pesquisa. tenho encontrado muita afinidade com alguns produtores, como Rob Made, Finnebassen, Marvin Zeyss, Ilias Katelanos, entre outros.. as 6 músicas que eu mais me identifico atualmente com certeza estão vinculadas a esses artistas.

Todos os dias surgem novos DJs, já você é uma DJ bem conceituada principalmente no norte gaúcho. Quais suas artimanhas?
Realmente o mercado de DJs tem se expandido demais nos últimos anos. Acho que se todos tiverem o princípio de agregar em prol da música, como já falamos, é válido, só que o que vemos não é sempre assim. Muitas pessoas se iludem com a idéia de fama, de reconhecimento mas não conseguem ver o trabalho que vem por trás disso. Podemos identificar em todo lugar pessoas que trabalham para a cena acontecer, que passam semanas produzindo festas, bookando artistas em potencial, fomentando a cultura eletrônica e outras que aproveitam dessa movimentação e entram com a maré. O reconhecimento na mídia, é um reflexo do trabalho e não ao contrário.

Sua profissão é ser DJ ou você trabalha em mais alguma área?
Trabalho em mais uma área, envolvida com minha formação, Administração.

Você é  residente de uma casa noturna muito bem conceituada. Quando você vê a galera curtindo o teu som, qual a sensação?
Nervosa sempre! A Beehive além de ser conceituada pela casa, pelo trabalho que faz com o público, é conceituada também porque o público aprova o que a casa faz, ou seja, valoriza a atração, tem um conhecimento sobre a cultura eletrônica muito vasto, então ser prestigiada por uma galera assim não tem preço nenhum! Cada apresentação sobe um frio na espinha que é gostoso demais.


Ficamos super felizes com tua participação, Lolô!
Por último e não menos importante, Soundcloud e o Facebook da Lolô!

Compartilhe.

Sobre o Autor

CEO do Explosive Box e Publicitário, louco por qualquer tipo de arte que me encante. Também sou editor-chefe das colunas de Moda e Música.

Leave A Reply