Brasileiros pelo mundo: Barcelona, Espanha

1

Hey! Então galera, mais uma amiga minha veio contar para vocês sobre seu intercâmbio. Eu acho essa troca de experiências fantástica e acho que ajuda muita gente que pensa em fazer intercâmbio, a escolher seu destino. Essa minha amiga está em Barcelona, na Espanha e tem MUITA coisa para contar para vocês. Segue a baixo, o post feito por ela mesma.

E aí Explosive Box!
Bom, não sei se começo me apresentando ou dizendo que eu sou louca por este blog. Vou mesclar porque a ansiedade de fazer as duas coisas, uma de cada vez, não tá fácil!

Meu nome é Martina, tenho 16 anos. Nasci em Porto Alegre, moro em Passo Fundo,Rio Grande do Sul, mas no momento estou morando a mais de 15 mil km de lá. Estou vivendo em Barcelona! E desde que cheguei não consegui parar de ler o Explosive Box, e fiquei louca quando o Di me convidou para fazer um post para vocês!

A oportunidade de vir para a Espanha surgiu através da minha mãe, que foi convidada para entrar na UPC (Universidade Politécnica da Catalunha), para fazer seu pós-doutorado em Urbanismo durante seis meses (ela atualmente dá aula de Arquitetura e Urbanismo na Universidade de Passo Fundo). Com uma organização de quase dois anos, conseguimos economizar e garantir que eu e minha irmã, Bibiana, viéssemos junto! Ela, com o intuito de fazer aulas de dança e de espanhol e eu, o maldito Ensino Médio.

Bom, está claro que o pessoal dessa cidade vive em meio à arte. Barcelona é a capital da Arquitetura. É uma cidade que possui um contraste muito grande, pois tem uma parte Gótica (antiga, com ruelas, prédios antigos, que me lembra muito o Beco Diagonal do Harry), e possui também uma parte moderna, que foi construída para as Olímpiadas de 1992 (foram construídos diversos prédios e ginásios, que depois foram vendidos para a população), que em minha opinião, nem se compara com a parte antiga, que é “muy graciosa”.

Minha “vida espanhola” tem sido indescritível, mesmo. Sempre que saio pela porta do prédio penso “Meu deus, eu estou morando em Barcelona”! Antes de a rotina pegar, saíamos quase todos os dias pelas ruas, pela praia, íamos aos museus famosos (como o Museu do Picasso), prédios projetados e construídos por Gaudí (um arquiteto muito famoso, conhecido especialmente por ter assumido a obra da Sagrada Família, Igreja ou Templo, lugar mais famoso de Barcelona, que está em construção desde 1882), como o Parque Guell e o Palácio Guell, barzinhos, zoológico, avenidas famosas (como Las Ramblas), e muito mais.

Agora que as aulas já começaram, a carga horária daqui é um pouquinho diferente (das 8:00 às 14:30). De tão louca que estou, me inscrevi em três cursos diferentes para passar o tempo (de Fotografia, Pilates e Cupcakes), aquela moleza de sair pela cidade tirando fotos de tudo acabou. Mas ninguém é de ferro não é mesmo? Então pelo menos uma vez por semana, fujo de casa e vou até um píer que tem na praia. Fico sentindo o vento no rosto, vendo o por do sol, vendo as pessoas, ouvindo as diversas línguas (porque Barcelona fica na Catalunha, uma região da Espanha, aqui eles falam além de espanhol, catalão, que é uma mistura de francês, italiano, espanhol e um pouco de português – pensem em eu tendo aula de filosofia e biologia nessa língua), fico sentindo saudade, meditando.

Um ponto positivo daqui, pelo que vejo na escola e nas ruas, é que as pessoas se sentem tão à vontade consigo mesmas, que parecem não se importar com a aparência dos outros, assim as pessoas se vestem como bem querem que ninguém fica olhando ou achando feio. Sabemos que em vários lugares do Brasil, se uma pessoa tem um piercing diferente, ou cor de cabelo chamativa, já é motivo para que a olhem negativamente.

Não posso também, simplesmente sair dizendo por aí que essa cidade possui apenas pontos positivos. Mas a educação em relação à natureza, a possibilidade de sair na rua à noite sem ter que ficar com a chave de casa na mão por medo de se assaltada, a liberdade de vestir o que quiser sem ser julgado, o bom senso de aceitar casais homossexuais demonstrando afeto na rua, ou o fato de possuir mais de três meios de transportes públicos, oculta os pontos ruins.

Nosso país ainda esta em fase de desenvolvimento, isso a gente sabe. E também sabemos que todo o continente Europeu está mais organizado, mais avançado… Acredito que isso é devido ao tempo de existência de cada um, o Brasil foi colonizado muito mais tarde e por isso o processo de crescimento e desenvolvimento não acompanha o daqui. Eu só espero que nosso passado bastante sujo não o impeça de crescer, de se aprimorar e de se adequar. Espero que o que vejo aqui seja o futuro daí.

Bom pessoal, se eu quisesse tentar descrever tudo o que vejo ou vivo aqui teria que escrever um livro, porque a essência, o ar, a arte, as pessoas, a cultura, tudo é envolvente, te faz querer morar aqui. Espero que tenham gostado desse pequeno “relato” da minha viagem, e se quiserem me acompanhar, tenho um blog também que é meu Diário de Viagem.

Beijão, e obrigada Explosive Box!

Compartilhe.

Sobre o Autor

CEO do Explosive Box e Publicitário, louco por qualquer tipo de arte que me encante. Também sou editor-chefe das colunas de Moda e Música.

1 comentário

Leave A Reply